PINK FLOYD: A HISTÓRIA DE "WISH YOU WERE HERE"

PINK FLOYD: A HISTÓRIA DE “WISH YOU WERE HERE”

O Pink Floyd gravava o nono álbum em Abbey Road, aquele famoso estúdio dos Beatles. As coisas não íam bem. Não havia inspiração, após o estrondoso sucesso de “Dark Side Of The Moon”, segundo álbum mais vendido de todos os tempos, junto com “Back In Black” do AC/DC. Roger Waters, David Gilmour, Nick Mason e Richard Wright estavam exaustos pelas tours ininterruptas e tinham só três sons prontos, um deles realmente aproveitável.

PINK FLOYD EM ABBEY ROAD (1975)

Richard Wright disse depois: “de repente ficamos cientes que o Pink Floyd estava virando um produto e que, a partir dali, a maior parte do tempo seria voltada para o lado comercial da música, não para tocar”. O mundo esperava um novo álbum, a gravadora também. Em janeiro de 1975 eles voltaram a Abbey Road, cansados e desmotivados. Para piorar o baterista Mason tinha acabado de ser abandonado pela esposa e não estava nem aí com a gravação.

ROGER E MASON © Jill Furmanovsky

As sessões eram uma tortura sem fim. Ricos, famosos, sem criatividade, tudo pra dar errado! O principal compositor do grupo nos primórdios, Syd Barrett, havia embarcado numa viagem sem volta de LSD. Virou um espectro. Não falava mais, faltava a shows. Waters assumiu a liderança e Barrett foi expulso anos antes. Waters dizia: “o Pink Floyd não teria acontecido sem Syd mas, em contrapartida, não teria continuado com ele”. Chegaram a cogitar um álbum com aquelas três músicas, tal a desgraça que se abatia sobre a banda.

“Shine on You Crazy Diamond” era a única pérola nas mãos do grupo, mas era só uma grande canção, não dava pra fazer um álbum só com ela. Waters propôs um álbum exatamente contando a triste história da banda com a esmagadora indústria da música. Gilmour detestou a ideia, mas foi voto vencido. Eis que surgiram as canções “Welcome To The Machine”, “Wish You Were Here” e “Have a Cigar”.

DAVID GILMOUR

No dia de colocar os vocais em “Shine On You Crazy Diamonds”, um tributo a Barrett, o produtor assistente aponta para um canto do estúdio, onde uma criatura soturna, com capa de chuva branca, segurando um saco plástico estava ali parada, com olhar perdido. Era Syd Barrett, homem sobre o qual a música falava naquele instante… Sinistro, né? Ninguém acreditou na mudança de aparência, mas era ele. Veja a foto:

SYD BARRETT, ANTES E DEPOIS

Na faixa título do disco “Wish You Were Here” que Roger Waters e David Gilmour protagonizaram uma rara parceria (dificilmente os dois escreviam juntos). Gilmour teria arranhado um riff de guitarra acústica no estúdio, que atraiu a atenção de Roger. No mesmo instante o baixista pediu para Gilmour repetir os acordes de maneira mais lenta. A partir daí, a canção foi ganhando corpo, com versos e refrões escritos pela dupla, finalizados pela letra de Roger.

A letra é cheia de questionamentos: “Então você acha que consegue distinguir/Paraíso do Inferno/Céus azuis da dor?” “Você consegue distinguir um campo verde/De um frio trilho de aço?”“Um sorriso de um véu?”.  De um momento de desalento surge uma das maiores canções de todos os tempos. Veja essa versão legendada com David Gilmour:

Quer saber mais? Veja o documentário legendado:

 

 

About the Author: baudorock

Leave A Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *