Vocalista do Linkin Park manda recado malcriado para fãs que criticam o trabalho recente do grupo: Se matem!

Vocalista do Linkin Park manda recado malcriado para fãs que criticam o trabalho recente do grupo: Se matem!

Alguns fãs criticaram o último trabalho da banda, chamando de “vendidos”

Chester, neste final de semana durante show do LP em São Paulo no Maximus festival

Recentemente, antes de sua vinda neste final de semana para o Brasil, o vocalista do Linkin Park, Chester Bennington, foi bastante infeliz na escolha das palavras que usou para rebater as criticas de alguns fãs da sua banda que não curtiram a fase mais comercial do grupo.

Se você acha que nós estamos fazendo isso por dinheiro, tentando fazer sucesso baseados em alguma fórmula, então se matem! Por que nós ainda estamos falando sobre o “Hybrid Theory”? É de muitos anos atrás. É um grande disco, nós amamos ele. Mas tipo, a vida segue, porra. Entende o que eu digo?” – disse o vocalista Chester, defendendo a mudança para uma sonoridade mais pop e melancólica do novo trabalho do seu grupo, que chega as lojas no próximo dia 19.

É sempre algo arriscado sair da zona de conforto construída por algo que deu certo para se arriscar em novas sonoridades, afinal, time que ta ganhando não se mexe! U2 e Los hermanos, por exemplo, são duas bandas que arriscaram deixar de dar continuidade a uma fórmula de sucesso que estava dando certo para arriscar novas sonoridades completamente diferentes do que haviam feito antes. É um ousado e arriscado salto no escuro onde sempre haverá os antigos fãs que irão se decepcionar com a mudança.

O vocalista do Slipknot, Corey Taylor, sabe bem o que é isso que Chester está passando, pois quando ele apresentou ao mundo o seu grupo Stone Sour (sua outra banda bem menos pesada que o Slipknot), também foi criticado por muitos fãs mais radicais e adeptos exclusivos do Metal. Em uma entrevista de rádio ele comentou sobre a declaração de Chester:

Eu entendo o que ele quer dizer, mas eu nunca falaria isso da forma que ele falou. Você fica frustrado e quer que as pessoas aceitem a evolução, mas ao mesmo tempo, você também deveria ser muito, muito grato de que as pessoas ainda gostam das músicas que você fez há muito tempo. De qualquer forma, é um grande álbum de rock híbrido. Têm elementos pop, as músicas são ótimas, então se você vai ter algum problema, é um problema bom de se ter. Seja grato pelo que você tem, seja grato pelo fato de que as pessoas ainda vão assistir aos seus shows. Dê um tempo à eles, você tem que dar um tempo. Em retrospecto, talvez dois ou três anos pra frente você lança um novo álbum e isso fará as pessoas apreciarem esse aqui ainda mais. Você precisa se acalmar, cara, e isso tá vindo de um cara que é notório por falar demais”.

Corey Taylor, vocalista do Slipknot e Stone Sour

Corey comparou com a situação que enfrentou com o Stone Sour:

Eu tive uns dois shows onde eu tirei dinheiro do meu bolso, coloquei na mão do cara e falei pra ‘dar o fora do meu show’. Levou um longo, longo tempo para superar isso. Foi uma jornada longa, bem depois de ‘Through Glass’. Honestamente, só foi depois do disco ‘House of Gold and Bones’ que eu senti que estávamos nos distanciando desse tipo de coisa”.

O Linkin Park acabou de tocar no Brasil, no último sábado dia 13, no Maximus Festival, onde fez um show arrebatador para delírio dos seus fãs brasileiros. Ao contrário da declaração rancorosa, o que se viu neste final de semana foi um Chester bem animado e feliz com seu público brasileiro, sempre fiel e empolgado nas apresentações da banda por aqui.

 

Linkin Park em SP no Maximus festival
Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *