As Aventuras de um Inocente Clemente!

Clemente Tadeu do Nascimento

 

Frontman e Guitarrista de duas das maiores bandas de Punk Rock desse País (Inocentes e Plebe Rude, além de ser o Pioneiro do Punk Brasileiro) nos conta uma história (Su)Real que aconteceu mais precisamente em 1986 (o ano que eclodiu o rock no Brasil).

“Uma vez fomos tocar num festival em Ipatinga (Minas Gerais) com RPM, Camisa de Vênus, Titãs, Gilberto Gil, Lobão e mais uma galera.

Chegando ao aeroporto às 8 da manhã, encontramos o pessoal do Camisa (Nova, Santana, Mullem, Hummel) e ficamos lá de boa trocando ideias, até aparecer o Deluqui (RPM) com 1 garrafa de Jack Daniels e não deu outra e começamos à chapar às 8 da manhã.

Paulo Ricardo passa com 5 seguranças e vai direto pro banheiro, quando o Marcelo Nova grita: “No banheiro com 5 seguranças??? Deve ser um para abrir o zíper, outro pra balançar, outro para….” Começou a Farra”

No avião Clemente e a banda Inocentes se sentam nas poltronas do meio, entre as bandas do Camisa e do RPM, já que uma banda não falava com a outra.

Chegando em Confins, o RPM pega um avião menor até Ipatinga (o famoso teco teco), o Camisa usa um ônibus leito gigante e Clemente juntamente com sua banda ocupam 2 opalas pretos.

(Adivinhem quem chegou Primeiro???)

Ainda na serra, os opalas deixam o ônibus do Camisa para trás e já tinham chegado ao hotel se esbaldando na piscina, quando aparece o P.A com uma cara de assustado, dizendo que o aviãozinho quase tinha caído. O Camisa estava há anos luz ainda de lá.

O show foi num estádio de futebol imenso com as bandas se alternando, o RPM com seu show de lasers, o Camisa com sua pegada nua e crua, até que chega a hora dos Inocentes tocar com o sol raiando para a alegria dos 50 mil fantasmas presentes, porque o público nesse momento se resumia à formação da Polícia Militar em formação para cair fora assim que o show acabasse ou que os Inocentes acabassem com o show (e foi exatamente o que aconteceu, mas isso é outra história).

No dia seguinte, depois dos Titãs terem cedido seus equipamentos para a banda e terem feito um show de verdade, Clemente e os Inocentes, juntamente com  alguns integrantes dos Titãs vão para trás do palco verem o show do Lobão.

Enquanto a chuva cai, eles presenciam Lobão tomando choque no microfone, que expelia várias faíscas azuis, mas o Lobo Mau não estava nem aí e continuou seu show, (só poderia estar anestesiado), até que Branco Mello dos Titãs , sempre falante com as mãos encosta num poste de ferro e não para de tremer, sendo eletrocutado ao vivo, enquanto os outros achavam que não passava de uma brincadeira, até que um bombeiro correu e desligou a chave geral do estádio, enquanto o Lobão ainda anestesiado pelos choques do microfone continuava cantando.

Branco caiu duro no chão, mas ainda está aí “vivinho da silva”, fazendo shows com os Titãs.,

Clemente e Ronaldo (também da banda Inocentes, um cara respeitado e surpreendente na história do punk) estão em um canto do palco, assistindo à um trecho do show do “Punk da Periferia” Gilberto Gil, quando de repente ele diz ao microfone interagindo com a plateia “ Eu Sou Gil, Eu Sou Frágil…”

Os 2 não se aguentam de rir, até que Gil para o show e fala com aquele sotaque baiano carregado “Tô Ouvindo Dois Gatos Miando Aqui No Palco”

De repente, um Holofote ilumina os 2 no canto do palco e o estádio inteiro começa à rir da cara deles e os dois xingando o arretado Gil de tudo quanto é nome.

Clemente atualmente está com seu programa FDP (Filhos da Pátria) voltado as bandas de rock nacionais e no YouTube com o, Kazagastão – KZG em parceria com Gastão Moreira.

(Alguns trechos foram extraídos do Livro: “Meninos em Fúria” de Marcelo Rubens Paiva e Clemente Tadeu do Nascimento)

Baú do Rock

About the Author: Sérgio Scarassatti