Linkin Park: ideia de fazer holograma do Chester não agrada

O músico Mike Shinoda não achou uma boa ideia.

Mike Shinoda, músico multi-instrumentista que tocava guitarra, teclado, sampler e fazia o segundo vocal do Linkin Park, parece não ter curtido a ideia de fazerem shows com um holograma do falecido vocalista Chester.

Quem sabe em um dia de um futuro bem distante, daqui há uma ou duas décadas talvez, isso até possa ser uma possibilidade, mas neste momento ainda muito recente com menos de cinco meses da morte de Chester Bennington, um show com holograma é algo que não deveria nem ser cogitado.

O futuro do Linkin Park é algo incerto, completamente indefinido onde nem os seus integrantes sabem exatamente ao certo. Mas os fãs inquietos buscam incansavelmente por uma resposta e tentam ajudar inclusive dando sugestões. Recentemente durante uma transmissão ao vivo do músico Mike Shinoda pelo instagram, ao ser questionado sobre a possibilidade de um holograma de Chester nos shows do Linkin Park, ele respondeu de forma bem enfática e objetiva: “Não vai rolar”.

Ainda sobre este assunto, Shinoda explicou de forma mais detalhada:

“Que tal não fazermos um Chester de holograma? Não consigo nem colocar na minha cabeça essa ideia de um Chester holográfico. Na verdade, eu ouvi algumas pessoas de fora da banda sugerirem isso, e não há nenhuma maneira [de acontecer]. Não posso mexer com essa merda. Para alguns de vocês que perderam um ente querido, um melhor amigo, um membro da família, dá pra imaginar ter um holograma deles? É horrível. Eu não posso fazer isso. Não sei o que vamos fazer, mas descobriremos eventualmente.”

Mike Shinoda e Chester Bennington

Baú do Rock

About the Author: Tomaz Sussekind