As tretas do Rock ’n’ Roll Hall of Fame.

Ah, os bons e velhos rockeiros, os insaciáveis caçadores de tretas, eternos insatisfeitos e inconformados com o Status Quo (não, ninguém tem nada contra uma das maiores bandas de rock progressivo da história, eu quis dizer: contra o estado atual). O site ranker (www.ranker.com) fez uma lista com 11 bafões que sacudiram o palco do Museu em Cleveland, Ohio (embora esse escriva ache que deva ter havido pelo menos 110 situações) das quais a gente vai mostrar algumas das mais marcantes, sem uma determinada ordem nem critério de escolha, só a loucura de quem escreve!

Vou começar com a mais suave das tretas, a que se passou com o Pearl Jam em 2017, principalmente porque não é bem uma briga, mas uma crítica aos organizadores por bandas jamais indicadas ao prêmio. Pimeiro, que eles praticamente obrigaram os organizadores a convidar todos os 5 (CINCO) ex bateristas para a cerimônia e, durante o seu discurso, o baixista Jeff Amend fez questão de se dizer honrado em “fazer parte de um grupo em que também estão alguns dos meu heróis, como Neil [Young], the Clash, Zeppelin, the Stooges, Cheap Trick. Mas o que nos afeta são os heróis que não estão aqui, se referindo a Nine Inch Nails, Sonic Youth, Kraftwerk, The Smiths, Elliott Smith, Motörhead, and Kate Bush. Parece que senso de justiça é o forte desses meninos de Seattle.

Na contra mão do Pearl Jam, no mesmo 2017, está Steve Perry, que, embora tenha subido no palco com o Journey e fazer um belo discurso, se recusou a dar uma palhinha com a banda da qual se desligou em 1991.

Aliás, coerência não parece ser o forte das nominações do Hall of Fame. Outra treta grandiosa (e também por uma justa causa, eu diria), ocorreu em 2014 quando, finalmente o KISS foi indicado mas a organização não chamou os integrantes da banda na época, o guitarrista Tommy Thayer e o baterista Eric Singer; aparentemente eles queriam “forçar” a banda a performar, maquiados, com a formação original, ao que Stanley and Simons responderam: aqui não, queridinha! Se quiserem falar de KISS, fazemos a apresentação com a banda atual e, depois, chamamos Frehley e Criss para tocarmos todos juntos. Na falta de acordo, nem música nem maquiagem!

Outro dos monstros sagrados que também deu show, no sentido mais treteiro da palavra, foi o Metallica, em 2009. Como todos sabem, o guitarrista da formação original foi o Dave Mustaine, que ajudou a compor 4 das 10 músicas do primeiro LP (Long Play, para os mais jovens, era como chamávamos os “discos de vynil” pelo qual se paga uma fortuna hoje em dia) de 1993 e mais 2 do segundo, 1984. Dave foi afastado por uso descontrolado de “substâncias” e nunca gravou nenhum dos álbuns da banda e sequer foi convidado para a cerimônia. Ele, que depois formou o Megadeth, foi aos jornais deixar claro que havia sido Hetfield e demais componentes que o haviam vetado! Já imaginou se houvesse Twitter na época, o Top trend que teria sido?

Agora se é para falar de treta, como deixar Axl Rose de fora? Meio que impossível, não é? Quando o Guns foi indicado em 2012, Axl já não havia estado com o slash por 6 anos e com McKagan por 5 e, por isso, disse que não iria aparecer. Além disso, declarou ao Los Angeles Times: “solicito veementemente que eu não seja incluído nem em minha ausência e, por favor, saibam que ninguém está autorizado em hipótese alguma a aceitar a indicação por mim ou falar em meu nome. Nem os outros membros da bvanda, nem os representantes das gravadoras e nem o Rock and Roll Hall of Fame poderá inferir, direta, indiretamente ou por omissão que eu estou incluído em qualquer menção a respeito da indicação do Guns N’ Roses” Cleveland não se tornou, realmente, uma “Paradise City” naquele dia. Que nervoso!

Pior fizeram os irmãos Knopfler, em 2018, que simplesmente… não apareceram para a premiação por estarem “de mal” um do outro. E, com essa criancice o Dire Straits se tornou mais uma vez referência no mundo do rock como a primeira banda da história a receber a indicação e perder o prêmio por W.O. Muito mimimi não acham?

Agora, falando em criança mimada, o rei do mimimi e com o selo “mas o que que é isso, Senhor?” vai para Peter Cetera, do Chicago (será que se o nome da banda fosse “Cleveland” teria dado mais certo????) que, dizem, se recusou a participar da premiação em 2016, dizendo-se frustrado porque a banda não quis mudar o tom da música “25 or 6 to 4” de A para E, o que, segundo a banda, já não estava mais no alcance do vocalista. Aí Pete deu piti, não apareceu e ainda foi reclamar que a banda era inflexível. Quanto mimimi!!!

Finalmente, para concluir esse textão (tomara que ainda estejam lendo, pois vai valer a pena), vou com aquela que acho que foi a melhor, mais pesada e mais punk das tretas: em 2006 o The Sex Pistols simplesmente recusou a indicação, e o fez no melhor estilo da banda: “Comparado ao Sex Pistols, o rock and roll hall of fame nada mais é do que uma mancha de mijo. Urina no vinho. Nós não vamos! Não somos seus macaquinhos, e daí? Os U$ 25 que pagaríamos por uma mesa ou os U$ 15 mil para ficarmos apertados na galeria iriam para essa organização não governamental que nos vende um monte de velhos famosos. Parabéns, se vocês votaram na gente, espero que entendam suas razões. Vocês são juizes anônimos, mas ainda assim, da indústria da música. Nos não iremos. Vocês não estão prestando atenção. As coisas fora da merda do sistema (“shit-stem” no termo original) é que são o verdadeiro Sex Pistol. Essa é a atitude punk! Mandaram um dedo do meio bem alto com um grito de FODA-SE gutural para o sistema da música. Eles nunca fizeram pelo lucro ou pela fama. Eles faziam pelo direito de se expressar livremente da forma fodásdica que quisessem!

E aí, faltou treta?????

Baú do Rock

About the Author: Luiz Totti