Quem inventou o Rock’n’Roll?

De longe se vê aquela figura ilustre, alto, magro, empunhando sua guitarra enquanto caminhava pela alameda, cheia de árvores e ecos de um tempo fantástico. Seus lábios balbuciavam algo como “vocês já ouviram falar sobre uns carrinhos bichados, vocês ouviram o barulho que eles fazem, mas agora deixe-me apresentar o meu Rocket 88”. Todos diziam que ele havia composto a primeira música da história do Rock’n’roll, Rocket 88 (apelido de um carrão da época, o Hydra Matic Drive V-8 Oldsmobile 88!!!!!!) sua fama se espalhava mas ele apenas sorria e continuava a sua caminhada, seguro do que iria fazer.

Em um outro canto da cidade, um outro gênio, um pouco mais baixo e de sorriso fácil gargalhava se lembrando de quando foi tocar em New Orleans e, antes do show, pararam para comer algo e, de repente, estavam no meio de uma confusão em um restaurante de peixe empanado, pleno Sábado na Rampart Street! Louis Jordan só saiu da cadeia porque sua “mina” pagou a fiança… dizem que até hoje ele se recusa a comer peixe! Mas a confusão acabou virando a música Saturday Night Fish Fry, que muitos também consideram como a primeira música do nosso amado Rock. Louis só sorri com o canto de seu lábio enquanto vai descendo a Avenida principal tocando seu saxofone dourado.

Mas eles não estavam sozinhos nessa loucura de dizer quem compôs o primeiro rock da história. Um terceiro ser supremo da música, o mais alto dentre os três ainda estava em casa, gentilmente arrumando sua gravata borboleta para que ficasse perfeitamente alinhada, afinal, a ocasião era de gala!!! Ele olhou para seus instrumentos de percussão e seu sax, pensando em qual levaria consigo.. como imaginava que Louis iria com o instrumento de sopro, optou por um pequeno chocalho. Jimmy Preston era tímido, não gostava muito da fama, por isso nunca ligou quando Bill Halley praticamente copiou sua música Rock this Joint, até então uma das precursoras do rock… até o “we’re gonna rock” era cantado no mesmo tom!!! Mas Jimmy nem ligava, para ele o rock era o que importava!

Wynonie Harris era o mais divertido entre todos eles, suas letras eram irônicas e irreverentes às vezes. Ele estava ali, lembrando quando Roy Brown havia oferecido a ele a música Good Rockin’ Tonight para gravar mas ele não havia gostado da pegada blues que tinha dado para a música. Porém, depois que Roy gravara a música, Wynonie pensou: hum, acho que posso melhorar esse blues.. colocou uma introdução de “When the saints go marching in”, acelerou os acordes e colocou essa linda energia que o rock nos traz e arrebentou. Sua versão é a que briga com outras 4 músicas como a “mãe do rock”. Fechou a porta atrás de si, respirou fundo, desceu lentamente os degraus de sua casa e se foi, assobiando com uma alegria que não entendia bem de onde vinha.

O quinto mas não menos célebre desse seleto grupo ainda tinha muito claro em sua mente os tempos difíceis que vivera em Chicago, dependendo de parcas moedas atiradas em troca dos acordes de sua guitarra e sua potente voz. Arthur Crudup acordou cedo e saiu caminhar, fumando de vez em quando, lembrando com muito carinho o momento em que sua vida deu uma virada e de quão importante para o rock sua música “That’s all right, Mama” foi. Talvez a letra fosse realmente um prenúncio de que as coisas iriam melhorar, pois mães nunca erram, não é mesmo? Ele se sentou em um banco e riu, com lágrimas de alegria correndo de seus olhos ao lembrar quando aquele menino de 19 anos pedira para gravar essa música em seu primeiro single. Até hoje ele se lembra da alegria de Elvis Presley ao receber esse presente de Arthur. Se Elvis é o rei do Rock, Arthur seria o pai do rock? Muitos assim pensavam, mas ele tinha certeza que não.

Aos poucos os gênios foram chegando ao centro da cidade, que não era grande, e lá encontraram Arthur sentado num banco, olhos ainda marejados e em poucos segundos estavam às gargalhadas, lembranças de muitas histórias, muitas músicas, muito sofrimento e aquela sensação indescritível de missão cumprida. Nas janelas e balcões das casas no entorno da praça dezenas de rostos começaram a aparecer e a se render aos que os inspiraram a fazer música e a fazer o Rock o que ele hoje é. Ali estavam Elvis Presley, Bill Haley, Little Richards, Chuck Berry, Buddy Holy, Jarry Lee Lewis, Tony Bennet e tantos outros. Todos aplaudindo e saudando. De repente, silêncio! Todos, em um movimento coordenado, param o que estavam fazendo, se calam e se viram para o centro da praça, mais especificamente para um pequeno coreto rodeado das mais belas flores que poderiam existir. O que todos esperavam estava por começar.. That’s all, eles disseram!!!!

Degrau por degrau sobe aquela figura imponente, guitarra nas mãos, olhar de mãe e, cheia de emoção, faz sua guitarra ressoar por todos os cantos da verdadeira cidade do rock, o paraíso onde hoje moram todos os gênios, chacoalhando as estruturas e levando todos ao delírio! Seu nome? Nem precisaríamos dizer: Sister Roseta Thorpe, a mãe do Rock’n’Roll, criadora do gênero que hoje todos amamos. Jackie, Louis, Jimmy, Wynonie e Arthur agora se abraçam e dançam, aos pés daquela que eles sempre souberam havia criado o rock. Aquela que em pouquíssimas vezes foi reconhecida como tal, mas que no paraíso, onde as estrelas hoje tocam, tem seu nome no portal de cada casa, no menú de cada restaurante e no epitáfio de cada artista!

O rock não tem pai… o rock tem mãe, pois mãe é quem sabe tudo!

Musicas citadas nesse artigo:

  • Rocket 88 – Jackie Brenston and his Delta Cats – Gravado em 1951
  • Saturday Night Fish Fry – Louis Jordan & The Tympany 5  – Gravado em 1949
  • Rock the Joint – Jimmy Preston And His Prestonians – Gravado em 1949
  • Good Rockin‘ tonight – Wynonie Harries – Gravado em 1947
  • That‘s all right, mama – Arthur Crudup – Gravado em 1946
  • That‘s all  – Sister Rosetta Thorpe – Gravado em 1938

Gênios citados nesse artigo

  • Ike Turner (1931-2007)
  • Louis Jordan (1908 – 1975)
  • Jimmy Preston (1919 – 1984)
  • Wynonie Harris (1915 – 1969)
  • Arthur Crudup (1905 – 1974)
  • Sister Rosetta Tharpe (1915 – 1973)

Texto inspirado no artigo 5 Candidates for the First Rock ‘n’ Roll Song, de 23 de Março de 2012, escrito por Bill Demain para o site Mentalfloss.com

Baú do Rock

About the Author: Luiz Totti