A mutação de Ozzy – verdade ou teoria da conspiração?

Ozzy Osbourne

Recentemente a ciência comprovou a natureza mutante de Ozzy Osbourne. O que poucos conhecem, entretanto, é a origem dessa loucura toda

A origem da conversão genética

O Universo é regido por leis nem sempre conhecidas e expostas a nós, meros mortais. Há sociedades secretas espalhadas pelo mundo todo que dominam e controlam muitas coisas que afetam o nosso dia a dia. Riquíssimos e com acesso infinito ao conhecimento e a novas tecnologias, criam e recriam redes de conexão que aumentam seus laços de controle sobre todo mundo, inclusive você, sim, você mesmo que está agora, lendo isso. Alguns dizem que isso é teoria da conspiração, mas nós temos a certeza de que não é, ou você acha que a intensidade e rota dos furacões é somente um fenômeno natural? Os tornados afetam determinadas regiões puramente por razões geográficas e atmosféricas? Que o derretimento da calota polar é somente fruto da mudança climática? Que aviões somem misteriosamente e nunca mais se encontra vestígios dele? Ora, meu caro, isso é o que eles querem que você pense, através do que autorizam divulgar através de falsos institutos e notícias falsas. A realidade é que eles controlam tudo!

rede de conexão intrínseca controla tudo no mundo
rede de conexão intrínseca controla tudo no mundo

Esse preâmbulo é importante para explicar que um dos mais protegidos programas dessas sociedades, cujo centro de estudo está no núcleo da Área 51 nos EUA, escondido em uma sala a 3 km de profundidade é a criação e reprodução de conceitos mutantes em seres humanos. E Ozzy Osbourne é apenas um entre tantos outros (quem duvida que Keith Richards não é outro desses?),

Área 51 em informação da NASA (Não Acredite Sem Acreditar)
Área 51 em informação da NASA (Não Acredite Sem Acreditar)

Como Ozzy se tornou um mutante

Para entender um pouco mais, é preciso voltar no tempo na pacata cidade de Miracema do Norte, bem antes do nascimento de Arlindo Orlando. Ali, onde agora está aquele edifício alto era uma casa velha que se conectava a um túnel para um avançado centro de estudos da área 51, chamado linha 743. O ano, 1964, e dali saia uma pequena caixa, envolta em uma bandeira do PPP (Palmeiras, Palestra Paulista) com destino à Inglaterra, mais especificamente rumo à cidade de Aston, onde uma família de camponeses estava passando por um momento complicado. O filho mais velho de Lilian e John Osbourne estava com uma doença terminal após ter sido picado por vespas mandarinas e passar a se comportar como se fosse uma velha virgem. Foi ali que a sociedade viu uma oportunidade de implementar o primeiro teste mutante em muitos anos, com sua nova geração de tecnologia, após terem falhado enormemente no começo do século.

Naquele momento, a Inglaterra passava por um momento difícil, e a família não sabia bem o que dizer quando viu em sua porta um senhor com terno branco e com dinheiro na mão fazendo uma proposta indecorosa, esperando uma resposta imediata, e eles acabaram aceitando, pelo bem de John Michael Osbourne e seus irmãos Jean, Iris e Gillian. Um ano e meio depois, e após 666 intervenções, entre micro cirurgias, injeções, transfusões, osmoses celulares, lobotização, ajustes nas cordas vocais e substituição de material genético, o bom filho à casa torna, a bordo de um avião da segunda guerra, o barão vermelho, saudável como nunca e pronto para mostrar ao mundo que o programa era um sucesso.

Avião que levou Ozzy de volta a Aston, Inglaterra
Avião que levou Ozzy de volta a Aston, Inglaterra

Foi uma festa em Aston e logo Ozzy, o codinome que adotara durante os procedimentos, então, passou a exibir os dons adquiridos com o processo, como sua voz única e vibrante, além de uma habilidade ímpar com instrumentos musicais. Mas nem tudo foram flores nessa transamutação: como o novo registro genético dava-lhe uma incrível resitência ao álcool e outras substâncias químicas, Ozzy passou a exagerar demais, causando constantes problemas para a família. A pequena sociedade conservadora até que tentou aceitá-lo, ainda que um mau exemplo para os jovens do local, mas um outro efeito colateral fazia com que Ozzy sentisse uma vontade incontrolável de comer morcegos o que, infelizmente, forçou sua família a colocá-lo para fora de casa para evitar mais constrangimentos, e no final de 1967 ele partiu, levando consigo apenas a bandeira do verdão paulista.

A projeção para o mundo

Foi nesse momento, indo para Londres, que Ozzy conheceu alguns outros músicos, como Tommy Iommi e Bill Ward elogo fundaram uma banda chamada Earth, mudada depois pela sociedade para Black Sabbath. Seus dons foram logo notados pela platéia que passou a lotar shows e implrava para que ele devorasse seus morcegos no palco. Na época, uma rede inglesa chamada McBat lançou o McOzzy, com dois morceburgueres, alface, queijo e molho especial, cebola e pickles num pão com gergelim. Sucesso absoluto de vendas. A banda virou um sucesso internacional, o que fez com que uma festa boa, que alguém estava bancando, acontecesse nos bunkers da área 51, sempre uma boa idéia, para comemorar o sucesso do programa.

Propaganda de rede de restaurantes para vender o McBat
Propaganda de rede de restaurantes para vender o McBat

Mas para Ozzy, aquilo era pouco, e o uso pesado de bebidas e drogas incomodava demais o restante da banda e ele deixou o Black, sendo substituído por Dio, outro mutante que, infelizmente, fugiu ao controle das sociedades, tendo virado recentemente apenas um holograma, muito mais fácil de controlar do que o humano, mas isso é tema para outro artigo.

Carreira Solo e crise na sociedade

Ozzy seguiu sua carreira solo com muito sucesso e motivou a sociedade a realizar outras intervenções, não somente no mundo da música e entretenimento, mas na política, ciência, esportes e vêm obtendo 99% de sucesso, mas aquele 1%… tem dado errado , errado… e é um desastre. O que os membros da sociedade não contavam, entretanto, era com um acidente de quadriciclo que sofrera Ozzy em 2003. Tendo que ser socorrido às pressas em um Hospital, os médicos notaram algo diferente no pus de suas feridas, guardando o conteúdo para, mais tarde, em 2010, enviá-lo para análise no instituto Knome com o pesquisador Bill Sullivan. O pesquisador ficou muito confuso com o que viu, aprofundou suas anãlises e descobriu o segredo de Ozzy. Através de redes sociais (nem o mais evoluído sistema de controle consegue segurar esse Zuckemberg e suas notícias….) divulgou, em 2018, que Ozzy era, na verdade, um mutante O Baú publicou, recentemente, essa notícia: http://baudorock.net/2019/08/a-ciencia-comprova-ozzy-osbourne-e-geneticamente-um-mutante/

Imediatamente Ozzy foi colocado de “molho”, com a sociedade ativando o comando “infeccionar dedo” em Outubro do ano passado, para evitar exposições desnecessárias. Como desnecessário é dizer que o tombo de Ozzy que quase o matou também é um bocado suspeito, talvez para criar ainda mais cortina de fumaça. Algo está acontecendo, e acredito que a sociedade já encontrou uma alternativa, pois Ozzy recentemente divulgou que estará de volta em breve, para validar o sucesso do processo de mutação.

A sociedade que causou a infecção em Ozzy
A sociedade que causou a infecção em Ozzy

Eu não estranharia se a sociedade causasse alguma comoção internacional com algum tema muito grave para distrair a todos nós, aproveitando para fazer com que Sullivan, que nesse ano publicou sua pesauisa num livro “Pleased to Meet Me: Genes, Germs and the Curious Forces That Make Us Who We Are” desapareça sem deixar vestígios nem históricos.

Assim como também não ficaria surpreso se esse período ausente fosse mais uma experiência mutante da sociedade e que Ozzy subisse ao palco no início do ano que vem com 4 braços, 2 na frente e dois nas costas, tocando guitarra e baixo ao mesmo tempo, voltando a encantar o mundo com sua voz eterna e sangue de morcego.  

Baú do Rock

About the Author: Luiz Totti

Avatar