Rock In Rio e o festival da vida, quem é você nessa festa?

Uma abordagem diferente sobre o Rock in Rio

Chegamos em 2019 ano de Rock in Rio , e infelizmente dos famigerados termos pejorativos que tumultuam o mundo virtual durante a execução do festival, eu, Barba azul, tenho um modo de pensar e viver minha vida, lifestyle? Não sei, mas penso que se quero que o rock seja forte e evidente como foi em um passado não tão distante, mudanças tem que ocorrer para um resultado diferente, pois como já dizia Einstein (aquele cabelo era de curtidor de heavy) fazendo as mesmas coisas o resultado sempre será o mesmo! O festival que presta homenagem a um dos maiores estilos musicais, batizando-o de Rock in Rio, é comparável a vida em sua gloriosa existência, pois os múltiplos palcos representam a pluralidade de estilos, a miscigenacão dos povos e a celebração do convívio coletivo. Eu sou um grande entusiasta do novo, do desconhecido e do brilho nos olhos, enquanto muitos almejam freneticamente a mudança no nome do festival, em um embate fútil e sem sentido, eu prefiro demandar meu tempo em flertar com os novatos, eles se aproximam tímidos, com um brilho nos olhos, atraídos pelo som, nesse instante um barbudinho sorridente se põe a frente para fazer amizade, e promover a história daquela banda, (afinal os músicos na totalidade dependem de seus fãs e o vice e versa é uma verdade absoluta!) na tentativa de arrebatar mais um para “colar” na grade comigo!

Show do Iron Maiden - acervo da banda
Show do Iron Maiden – acervo da banda

O esteriótipo do rockeiro trevoso tem que ser “exorcizado” do senso comum, para que cada vez mais, novatos se aproximem, você que está lendo, sem sombra de dúvida já foi um deles um dia, não sei como foi tua conversão, pode ter sido na festa familiar com aquele tio descolado, ou escutando aquele vizinho que vivia a vida com a força da guitarra reverberando nas paredes da casa, ou como eu, que ouvi aos 16 anos, Fear of the dark no fretado para o trabalho e penou para descobrir quem tocava (não havia Google) agradeço até hoje aquele motorista, e no próximo domingo dia seis, vou homenagear ele na realização do meu sonho e gritar o nome (in memórian) dele quando tocar Fear for executada no Morumbi! Se você leu até aqui, o bom senso faz parte da sua essência, ainda resta alguma dúvida que o Rock in Rio pode ser aquela festa de família? Você deixa de conviver com os seus entes queridos, só porque eles escutam outros estilos? ou prefere dar oportunidade pra eles conhecerem o seu, o meu, o vosso Rock ! Quem é você na vida ? Mais um como o barba azul, ou aquele que prefere continuar fazendo tudo igual ? Ainda bem que o festival nunca pensou em mudar de nome e quem assim seja ! Viva o Rock ?

Bastidores: Fábio Mozer (barba) Ivan Fernandes (índio)
Bastidores: Fábio Mozer (barba) Ivan Fernandes (índio)
Baú do Rock