Ozzy e o coronavírus: como tudo começou

Des Moines é a capital do estado de Iowa, no Norte dos EUA, cidade onde se come, em média, 6 Kg de batatas fritas por ano…. por pessoa!!! É ali, também, que fica o Gray´s Lake, localizado exatamente a 542 Km de Crystal Lake, lar dos peixes-boi e Quartel General do Serviço de Atendimento a Clientes insatisfeitos do Baú do Rock! Diz a lenda que eles são conectados por um rio subterrâneo bem gelado. Mas o que ninguém sabe é que foi ali, na cidade com, então 192.666 habitantes, que se originou a pandemia do coronavírus. E o responsável foi, nada mais, nada menos, que o Príncipe das Trevas.

Rota entre os dois lagos, por via terrestre
Rota entre os dois lagos, por via terrestre

Dia 20 de Janeiro de 1982, o tour Diary of a Mad Man está a todo vapor e o comboio chega a Des Moines. Ao contrário de muitos amigos que viam na menina Maria Joana sua melhor amiga, Ozzy preferia viajar com seus amigos Johhny, jack e Jose, além de sempre levar um carregamento extra de Lemon Soda Diet (Soda limonada Diet), uma bebida com sabor ácido que o ajudava a criar as músicas e dançar Ragatanga no palco. Naquela noite, ele ficou um tempão com los 3 amigos e, antes de começar o show, ele tomou 3 doses de sua Lemon Soda Diet para se hidratar. 

flyer do show de Ozzy em Des Moines
Cartaz do show de Ozzy: Vista-se adequadamente e não recomendamos comer antes do show. Por que será, né????

Lá pelas tantas, um fã chamado Mark Neal, conhecido como china,  jogou um morceguinho no palco, bem aos pés de Ozzy. Imediatamente, com aquela larica borbulhando borbulhas de amor em seu estômago, Ozzy achou que era um petisco e tascou uma mordida na cabeça do bichinho. “O negócio era mais insuportável do que ketchup na pizza”, disse Ozzy, e ele passou mal com aquela coisa horrorosa. Tomou vacina antitretânica e, logo no dia seguinte, partia para Reno, onde faria um show no dia 22.

Ozzy comendo morcego
Ozzy na hora da merenda, durante seu show

Os meses seguintes não foram bons para Ozzy. Febre, tremores e tosse seca, além uma vontade de ficar isolado gigante, mas ele tinha que seguir. Passou a exigir centenas de rolos de papel higiênico e potes de álcool gel nos bastidores, algo que ninguém entendia. Aliás, a cada cidade que passava, Ozzy causava uma corrida de pessoas ao supermercado para se estocar com aqueles produtos, pois sabiam que iria sumir do mercado. 

Carregamento de papel higiênico para os camrins de Ozzy
Carregamento de papel higiênico para os camarins de Ozzy

Em Junho, o tour parte para os shows no Japão e, no dia 15, data da volta para os EUA, Ozzy some. Reaparece 4 dias depois, com um pastel e um prato de Flango Xadrez na mão, mas não consegue explicar o que houve com clareza, só repetia “duchas corona um banho de alegria, num mundo de água quente”. Milagrosamente, daquele dia em diante nunca mais teve febre, mas pegou uma mania: a cada festa que fazia, ele sempre falava “não convide 20, convide 19”.

Em 2020 o mundo entra em pandemia, e há suspeitas sobre uma possível responsabilidade de Ozzy nessa crise toda. De acordo com a teoria, o morcego  a ele servido continha um vírus experimental que deveria matar uma pessoa em 25 dias, mas isso não aconteceu com o Príncipe das Trevas. Os cientistas, então, requisitaram seu sangue para entender o que teria acontecido. Boatos dizem que, no período que ficou sumido, Ozzy foi levado por gangsters russos para o Butão, onde seu sangue foi retirado e substituído pelo de uma virgem de 95 anos, cujo furor uterino até hoje lhe causa tremedeiras. Anos depois, seu sangue congelado foi roubado e transformado em linguiça de sangue, ou choriço, exportado para a China e servido com uma sopa de morcegos.

Daquele dia em diante, o vírus se espalhou pelo planeta, causando nas pessoas os mesmos sintomas que Ozzy tinha: febre, tosse, vontade de ficar sozinho por 14 dias e vontade incontrolável de armazenar papel higiênico e álcool gel.

Esse foi mais um texto da série “Verdades Tottinianas”, onde 99% é verídico mas aquele 1%….

Baú do Rock

About the Author: Luiz Totti

Avatar