Groupies – O lado feminino obscuro do Rock.

                         

By Joyce Moretto

Todos conhecem e admiram as grandes divas roqueiras!

Mas e as mulheres inevitavelmente presentes nos “bastidores” deste universo predominantemente masculino?

Com o “boom” do Rock ‘n Roll nos anos 50 já com Elvis e na década seguinte com Beatles e Rolling Stones, milhares de adolescentes extasiadas com seus ídolos lotavam os shows em meio à gritos e até desmaios com cartazes e inúmeras demonstrações de carinho para com os mesmos.

Entretanto muitas dessas garotas não se conformavam em apenas contemplar os integrantes das bandas…

Queriam estar com eles, participar da rotina festeira dos bastidores e consequentemente, algo mais!

São elas as “Groupies” mulheres que faziam o impossível para ter no mínimo uma noite com os rockers.

O termo (groupie) deriva da palavra inglesa “group”, ou seja, grupo em português fazendo associação a grupo musical (bandas) e ao fato de muitas andarem em turmas.

Limites para estas garotas era um termo desconhecido para elas.

Podemos conferir isto em depoimentos como o de Vince Neil

(Mötley Crüe) “Você fica com as garotas elas saem pela janela de trás e outras entram pela porta da frente”.

Para Rob Jones (então Dj da Radio knac LA) “Levei muito tempo para abraçar uma mulher com sinceridade”

Lemmy Kilmster (Motörhead) foi mais direto… “Adoro as mulheres, deveriam estar sempre nuas no backstage”.

As groupies mais conhecidas:

Anita Pallenberg

Anita Pallenberg

Envolveu-se primeiramente com Brian Jones mas depois de ser agredida por ele, ficou com Keith Richards até 1979, com quem teve três filhos.

Lori Maddox

Lori Maddox

Aos 14 anos teve um envolvimento com Jimmy Page sem divulgar na mídia por ainda ser menor de idade e alega ter perdido a virgindade com David Bowie com 13 anos.

Bebe Buell

Bebe Buell

Amante de muitos rockers mas em 1976 nasceu Liv Tyler sua filha com Steven Tyler (Aerosmith) no entanto Liv só tomou conhecimento do assunto na adolescência, pois tinha sido registrada por Todd Rundgren (produtor e multi-instrumentista) o qual acreditava se seu pai.

Mas estas mulheres se tornam apenas objetos sexuais dos músicos?

Pamela des Barres a mais famosa de todas que inclusive escreveu o livro: ”I’m With the Band” onde conta todas as suas experiências ao longo dos anos acompanhando as bandas, diz que NÃO:

Pamela de Barres

“As garotas não eram arrastadas por eles. Elas estavam lá porque era exatamente onde queriam estar!

Festejar no meio do som, ser popular e se sentir bem”

O movimento Hippie prega o “
amor livre” como uma de suas filosofias

O surgimento do movimento Hippie o qual a liberdade sexual foi uma de suas abrangências e a liberação da pílula anticoncepcional, ambos na década de 60 provavelmente foram as circunstâncias que propiciaram o aparecimento deste grupo tão peculiar no mundo da música.

Baú do Rock

About the Author: Joyce Moretto

%d blogueiros gostam disto: